Notas Sobre Livros/Booknotes

NININ, Maria Otília Guimarães e Tania Regina de Souza ROMERO (orgs.). 2008. Lingüística Sistêmico-Funcional como instrumento na educação. São Carlos, SP: Pedro e João Editores. 203 p. ISBN. 978-85-99803-46-2

A importância desse trabalho pode ser atribuída ao fato de oferecer aos estudos de Lingüística Aplicada um conjunto de pesquisas em contextos educacionais a distância (EAD) e presenciais com o aporte teórico da Lingüística Sistêmico-Funcional (LFS).

Organizado por Maria Otília Guimarães Ninin e Tania Regina de Souza Romero, o livro está dividido em duas partes: Lingüística Sistêmico-Funcional em Contextos Educacionais de Ensino a Distância e Lingüística Sistêmico-Funcional em Contextos Presenciais. Na parte I, cuja apresentação é feita por Heloísa Collins, com o texto Educação a distância e lingüística aplicada sob a ótica da lingüística sistêmico-funcional, são encontrados 4 capítulos dedicados às pesquisas que aliam práticas do ensino online analisadas com o aporte da LSF.

No primeiro capítulo, A Linguagem Instrucional e a Lingüística Sistêmico-Funcional, Tatiana Higa Pasini analisa a linguagem de dois componentes do curso online Teachers’ Links: reflexão e desenvolvimento para professores de inglês oferecido pela COGEAE-PUC-SP. No capítulo seguinte, Netspeak e a participação em fóruns de discussão online, Erisama Célia Sanches Victoriano Luiz faz uma análise das discussões assíncronas do curso online Leitura Instrumental em Inglês via Internet I.

Com o capítulo 3, intitulado A GSF: um caminho para a análise da mediação de professores em contextos de aprendizagem online, Solange Gervai analisa a mediação de professores em contextos de aprendizagem online. No último capítulo da parte 1, Tania Regina S. Romero e Maria Aparecida Caltabiano analisam textos de alunos produzidos no espaço denominado Perfil em que eles se apresentam aos demais colegas de um curso online; as autoras caracterizam esse gênero de interação, bem como estudam os significados da seqüência de apresentação.

A parte II é apresentada por Leila Barbara com o texto A teoria Sistêmico-Funcional e o Ensino. No capítulo 5 dessa etapa da obra, Hilda A. S. M. Montemór investiga as representações de alunos sobre o papel da teoria gramatical no ensino da língua portuguesa com o texto Representações discentes acerca da importância da aprendizagem da teoria gramatical analisada pela Gramática Sistêmico-Funcional. No capítulo 6, Márcia Helena dos Santos apresenta o artigo intitulado Os valores constitutivos da identidade de um aluno na construção do texto descritivo; sua pesquisa busca entender a forma pela qual, por meio da linguagem, se constitui a identidade do autor da produção textual descritiva e a organização de suas experiências.

Com A construção da capacidade de relatar em língua estrangeira: uma análise a partir de construtos da Lingüística Sistêmico-Funcional, capítulo 7 do livro, Paula Tatianne Carréra Szundy analisa cinco recortes de interação ocorridos durante a aplicação de dois jogos de tabuleiro. Assim, a autora discute o uso de jogos em sala de aula de língua inglesa como língua estrangeira e seu papel no processo de aprendizagem.

No capítulo seguinte, Sônia Natália de Lima traz A Gramática Sistêmico-Funcional como instrumento de análise de relatos de professores em pesquisa sobre o ensino (ou não) da gramática teórica na educação básica. Nesse trabalho, Lima faz a análise de uma entrevista com um professor de língua portuguesa para conhecer suas representações em relação ao ensino da gramática teórica no ensino básico.

Solange Teresinha Ricardo de Castro e Vera Lúcia Batalha de Siqueira Renda apresentam o artigo A construção das identidades de alunos ingressantes em um curso de Letras vista pelo prisma da Gramática Sistêmico-Funcional. Nele, as autoras analisam e fazem uma reflexão sobre a representação que alunos universitários têm quanto aos seus papéis no processo de aprendizagem e como suas identidades são (re)construídas.

No último capítulo da Parte II e da obra, Maria Otília Guimarães Ninin relata sua pesquisa com Te(ce)ndo a formação pré-serviço do futuro professor na área de Letras. Em seu texto a autora apresenta uma análise sobre o trabalho do professor reflexivo ao orientar os alunos que estão em fase de elaboração dos Trabalhos de Conclusão de Curso.

Não há como negar, ao ler essa obra, que o instrumental analítico proveniente da LSF é de grande relevância para a análise de dados de pesquisas que se dedicam à interpretação qualitativa dos achados encontrados no contexto educacional online ou presencial.

Por/by: Maria Cecília LOPES (FIP/LAEL-PUC-SP) E-mail: cecilialopes@corpuslg.org Fonte: DELTA: Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada, vol.25 no.1 São Paulo 2009