Educação no Brasil desperdiça recursos, diz especialista português

A primeira experiência aconteceu na Cidade do Porto, em Portugal – uma escola sem sala de aula, sem séries e sem provas de avaliação. É dessa forma que o educador português José Pacheco acredita numa formação mais comprometida com os estudantes e com a sociedade em geral. Também já com suas ideias implantadas no Brasil, através do Projeto Âncora, em Cotia (SP), Pacheco participa a partir desta quarta-feira (24) do Congresso Internacional de Tecnologia na Educação, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda.

A Escola da Ponte, no Porto, foi fundada em 1976. Lá, não existe divisão de turmas ou disciplinas, e os professores não ficam fixos em uma disciplina ou em série específicas. Os estudantes, por sua vez, possuem a liberdade para escolher áreas de interesse e a participação em projetos de pesquisa. Para Pacheco, o modelo atual de educação desenvolvido no Brasil – defasado – é um desperdício de dinheiro público e não contribui com a formação dos alunos.

O G1 conversou com o educador português por e-mail sobre os projetos implantados em Portugal e no Brasil e como ele enxerga atual situação da educação nos países. Confira, abaixo, a entrevista realizada com José Pacheco.

Leia a reportagem completa em: http://g1.globo.com/pernambuco/vestibular-e-educacao/noticia/2013/09/educacao-no-brasil-desperdica-recursos-diz-especialista-portugues.html