“E se aprender fosse o motivo da nossa existência?”

Henrique Vedana já foi presidente da AIESEC, a maior organização de estudantes universitários do mundo. Já estudou por três anos na escola dinamarquesa de empreendedorismo e inovação social Kaospilot. Em tantas idas e vindas, descobriu que sua paixão é a sustentabilidade que, segundo ele, também significa criar diálogos, estimular a economia colaborativa, repensar a mobilidade urbana. Atrelado a tudo isso, Vedana, que vai palestrar no TEDx Unisinos – evento que tem como tema Inovação em Educação –, no dia 31 de outubro, acredita no poder da cocriação para resolver problemas complexos da sociedade.

“O que eu pretendo discutir no dia é a necessidade de conectar aprendizado com propósito. É tentar levantar a seguinte questão: E se aprender fosse o propósito que todos compartilhamos, seja como indíviduos, como raça ou como coletivo? Se fosse esse o motivo da nossa existência?”, explica. Esse tipo de pergunta, ou melhor, de provocação, é o que guia grande parte de seu trabalho.

Vedana é sócio da CoCriar, organização que ajuda grupos de pessoas, como empresas, ONGs, escolas, institutos, a se entenderem melhor por meio de conversas que valorizem a habilidade de cada membro para a realização de um trabalho coletivo. “Quando as pessoas precisam resolver alguma coisa de forma coletiva, mesmo que seja só para gerar reflexão ou aprendizado, nós somos chamados para mostrar como a interação pode ajudar nesses processos, como a inteligência coletiva pode emergir de um diálogo informal e ser eficaz para atingir melhores resultados.”

Leia na íntegra em: http://porvir.org/porpensar/e-se-aprender-fosse-motivo-da-nossa-existencia/20130927