‘A mediação do professor é o que faz diferença’

Na caixa de entrada de seu e-mail, Fernanda Tardin, uma professora da rede estadual de ensino do Rio de Janeiro, encontra uma mensagem angustiada de uma colega de profissão de Pernambuco, que não conseguia baixar os jogos educativos indicados por Fernanda em seu blog. Elas nunca se viram e estão distantes mais de 2.000 quilômetros uma da outra, mas compartilham os desafios de exercer o ofício fora de um grande centro. Pacientemente, Fernanda explica que os jogos estão disponíveis on-line, sem necessidade de download. Com o Utilizando as Mídias na Educação, além de construir um espaço para trocas de experiências, Fernanda conduz pela mão, sem qualquer paternalismo ou condescendência, companheiros de profissão ainda perdidos quanto ao seu papel como mediadores entre alunos e recursos digitais.

Articuladora pedagógica do Instituto de Educação Eber Teixeira de Figueiredo, em Bom Jesus do Itabapoana – município com pouco mais de 35 mil habitantes no noroeste do Rio –, Fernanda criou o blog em 2009 com o propósito de compartilhar com seus colegas de escola algumas ideias de como usar a tecnologia em sala de aula. Quatro anos e 230 mil visitas depois, os comentários postados no blog são como um mapa do Brasil. Do interior de um estado para outro, professores inseridos em diferentes contextos educacionais se unem para montar uma aula interativa sobre o Sistema Solar ou debater artigos acadêmicos sobre o uso de novos recursos na escola – e todo o cardápio de possibilidades entre um extremo e outro.

Pós-graduada em Mídias na Educação pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Fernanda reúne textos, vídeos, dicas de sites e blogs, entrevistas e jogos educacionais com o objetivo de munir seus colegas de ferramentas para enriquecer e diversificar o processo ensino e aprendizagem. Não se trata, porém, de uma via de mão única, como a professora explica nesta entrevista ao Porvir.

Continue lendo em: http://porvir.org/porpensar/a-mediacao-e-faz-diferenca/20130830