‘A escola deveria ser um laboratório de falhas’

Para melhorar a realidade da educação brasileira, é necessário mudar a maneira como os professores ensinam e como os alunos aprendem. Essa mudança conceitual defendida por Gustavo Borba, organizador do TEDxUnisinos e especialista no tema inovação na educação, pressupõe uma modificação no próprio conceito de escola. “Precisamos disseminar uma outra cultura nos nossos sistemas de ensino se quisermos, de fato, mudar nossa realidade educacional: a cultura do ‘aprendemos mais errando’. As escolas deveriam ser entendidas como uma espécie de laboratório de falhas, como espaços de construção. Porque é a partir das falhas que surgem as inovações”, diz Borba.

Defendendo a ideia de que todas as iniciativas que se propõem inovadoras devem começar como um caso piloto, Borba espera, com a terceira edição do TEDxUnisinos, difundir boas experiências e ideias que possam inspirar pessoas, entidades e governos. Marcado para acontecer no dia 31 de outubro em Porto Alegre, o evento – formatado sob a dinâmica de apresentações de menos de 20 minutos –, contará com palestrantes estrangeiros e do Brasil. O educador americano Richard Gerver e o empreendedor sociail brasileiro Felipe Dib, do projeto Você Aprende Agora, são alguns dos participantes. (veja a lista completa de palestrantes). As inscrições já estão encerradas, mas para quem quiser acompanhar as discussões, o evento vai transmitir on-line as palestras.

Segundo Borba, ao dar publicidade às boas experiências, é possível “alavancar” o case, fazendo com que a experiência seja expandida para mais estudantes. “A ideia do TED é trazer experiências inovadoras sobre práticas legais que estão acontecendo ao nosso redor ou mais distante de nós. Buscamos disseminar exemplos que podem ser seguidos por escolas Brasil adentro. Queremos estimular a construção de uma nova educação no país”, diz.

Continue lendo em: http://http://porvir.org/porpensar/a-escola-deveria-ser-um-laboratorio-de-falhas/20131009