Radiações: Raio X e Ultravioleta

Apresentação

O Sol é uma das fontes da vida na Terra, ele auxilia nos processos de desenvolvimento dos animais e vegetais. Porém, juntamente com os benefícios proporcionados, ele também emite radiações, as quais, em excesso, podem ser prejudiciais, como a radiação ultravioleta. Outra radiação muito conhecida é o Raio X, o qual é produzido artificialmente e usado na área ortodôntica e na área médica para diagnósticos.

OBJETIVOS
  • Definir radiações do tipo Raio X e ultravioleta.
  • Apresentar aplicações do Raio X e da radiação ultravioleta.
  • Discutir possíveis implicações do uso inadequado do Raio X e da radiação ultravioleta.

Ficha técnica

Unidades didáticas às quais este conteúdo pode pertencer:
  • Radiações
Outros conteúdos que podem se relacionar a este:
  • Propriedades óticas em Nanociências
  • Radiações alfa e beta
Níveis de ensino apropriados:
  • Ensino Superior
  • Ensino Médio

Créditos

Autores:
Coordenação pedagógica: Profª. Dr. Valeria Iensen Bortoluzzi
Coordenação técnica: Prof. Ms. Iuri Lammel
Instituição: Centro Universitário Franciscano
Data de publicação: Setembro de 2013
Local: Santa Maria, RS
Como citar este conteúdo:
MAIS UNIFRA. Radiações: Raio X e Ultravioleta. Santa Maria, RS: Unifra, 2013. Online. Disponível em: http://maisunifra.com.br/conteudo/radiacaoes_rx_ux/.

Bibliografia

Bibliografia que embasa este conteúdo:
  • HALLIDAY, D.; RESNICK, R.; Fundamentos de Física: Óptica e Física Moderna. 8. ed., v. 4, Rio de Janeiro: LTC, 2009.
  • HENEINE, I. F. Biofísica Básica. 1 ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 1991.
  • YOUNG, H.D.; FREEDMAN, R. A. Física IV, ótica e Física Moderna.10. ed., v. 4, São Paulo: Pearson, 2004.
  • BUSHONG, S. C. Manual de radiología para técnicos – Física, biología y protección radiológica. 1. ed. Madri: Mosby/Doyma Libros, 1993. 710p. Tradução de Diorki Servicios Integrales de Edición.
  • EISBERG, R.; RESNICK, R. Física Quântica – Átomos, Moléculas, Sólidos, Núcleos e Partículas. 13. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1979. 928 p. Tradução de Paulo Costa Ribeiro, Enio Frota da Silveira e Marta Feijó Barroso.

Espaço do professor

Olá, professor!
A seção Ideias e Propostas tem você como foco, ao fornecer sugestões de trabalho, em diferentes contextos, com os conteúdos que você encontra no MAIS Unifra. O documento que você vai acessar não é um plano de aula, por isso não pode substituir seu planajemento pessoal. Mas você poderá ter boas ideias a partir das nossas.
Aproveite este espaço e bom trabalho!

Introdução

A física das radiações é ampla e diversificada, sendo esta responsável por uma grande quantidade de trabalhos relacionados com pesquisa científica, nos quais novos procedimentos são desenvolvidos para potencializar os benefícios e minimizar os danos. Dentre as radiações que são abarcadas, podemos citar as radiações ultravioleta e Raio X. Essas são pertencentes a um grupo de radiações chamadas de ionizantes, as quais atuam diretamente no átomo.

No caso do Raio X, essas podem ser produzidas em pequenos espaços, como em consultórios odontológicos, sendo usada, neste caso, para diagnóstico. A radiação ultravioleta também pode ser produzida em pequenos espaços, e ficou muito conhecida nas câmaras de bronzeamento artificiais, tão polêmicas, por ter seus danos à saúde pouco estudados.

Neste conteúdo didático, abordaremos com mais profundidade esses dois tópicos, explicitando aplicações e implicações. Acesse as próximas páginas e confira.

Raio X

O Raio X é uma radiação eletromagnética e foi descoberto em 1895 pelo físico Wilhelm Conrad Röntgen. O Raio X é produzido quando elétrons altamente energéticos são emitidos por um cátodo e freados bruscamente num ânodo; neste, a energia cinética é transformada em energia radiante no comprimento de onda correspondente ao Raio X.

Saiba mais

Para saber mais, acesse esta página da web sobre produção de Raios X.

Atenção!

O aparelho de Raio X não é radioativo e sim produtor de radiação, ou seja, depois de desligado ele deixa de emitir radiação. Como resultado, os ambientes onde o Raio X é usado não permanecem radioativos, somente durante a utilização do equipamento.

Ultravioleta

Saiba mais

Para saber mais acesse:
esta página da web sobre radiação ultravioleta do sol.

O Sol é uma fonte natural muito importante para a sobrevivência dos animais e vegetais na Terra. Ele fornece luz e calor, o que possibilita a ocorrência de processos vegetais importantes, como a fotossíntese. Porém, além de o Sol emitir luz visível, ele emite radiação “invisível”, com comprimentos de onda menores que a radiação visível (luz), ou seja, seu comprimento de onda varia de 150 nm a 400 nm e essa região do espectro eletromagnético é denominada de ultravioleta.

Mesmo que o Sol seja uma fonte fundamental para a existência de vida na Terra, é importante salientar que a exposição excessiva e prolongada a essa radiação torna-se prejudicial aos seres vivos. É por esse motivo que a camada de ozônio possui um papel fundamental para os organismos vivos e seu papel é proteger dos efeitos maléficos provenientes das radiações ultravioleta.

Atualmente, tem-se discutido muito sobre a diminuição da camada de ozônio, principalmente devido ao aumento da emissão de gases poluentes, e isto torna-se uma ameaça para os ecossistemas terrestres e aquáticos, pois a intensidade da radiação ultravioleta irá aumentar com a redução da densidade de ozônio.

Aplicações e Implicações do Raio X e Ultravioleta

Raio X: é conhecido principalmente pela sua utilização na área médica para auxiliar nos diagnósticos. Isto é possível, pois o Raio X, ao atravessar regiões do corpo humano, tem maior facilidade em passar nos locais com menor densidade de cálcio, o que acarreta a impressão na chapa fotográfica. Então, a parte mais clara que se pode observar na imagem obtida pelo Raio X corresponde, principalmente, aos ossos e, por esse motivo, esta técnica é usada para diagnosticar as partes mais densas do organismo humano. Esta prática é usada na odontologia para avaliar infiltrações, rachaduras e perfurações nos dentes.

No entanto, a utilização do Raio X deve ser realizada com cuidados, pois trata-se de uma radiação ionizante. Na odontologia, usa-se colete de chumbo para a proteção das demais partes do corpo. Já na medicina, o seu uso é cauteloso, pois os seres humanos não suportam excessivas exposições. Caso estas ocorram, podem causar vermelhidão, queimaduras, mutações no DNA e, em casos extremos, leucemia.

Ultravioleta: sabe-se que existem muitas aplicações para a radiação ultravioleta, dentre elas, cita-se a esterilização de embalagens, a desinfecção de superfícies, em que a luz ultravioleta, intensa, é usada para eliminar microorganismos em suspensão no ar, bem como em superfícies. Isto é possível, pois o comprimento de onda do ultravioleta tem a capacidade de lesionar o DNA dos microorganismos, impedindo sua reprodução.

Dentre os malefícios causados, podemos citar queimaduras na pele, envelhecimento precoce e, em alguns casos, pode desencadear o câncer de pele.

Atividades

MAIS

Para se aprofundar um pouco mais, consulte:

  • EISBERG, R.; RESNICK, R. Física Quântica – Átomos, Moléculas, Sólidos, Núcleos e Partículas. 13. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1979. 928 p. Tradução de Paulo Costa Ribeiro, Enio Frota da Silveira e Marta Feijó Barroso.

Objetos de Aprendizagem

miniatura_fis_radiacoes-uv_efeitos-sol
Efeitos cumulativos da Radiação UV
Você sabia que o hábito de bronzear-se pode causar efeitos indesejados no futuro?
Tipo da mídia:
miniatura_fis_radiacoes-uv_raiox
Raio-X
Identifique os elementos que compõem o processo de radiografia.
Tipo da mídia:

Participe

ComentáriosFórum

Deixe um comentário

Para participar, você precisa primeiro fazer seu login.